sábado, 7 de maio de 2011

Dia das Mães - O Coração Gigante

Ontem, chegando na festinha do maternal na escolinha da Cecília, eu me deparei com um Coração Gigante. Literalmente. Uma pessoa vestida de coraçaozão de pelúcia.


Tudo era o delicioso caos de festinhas no pré escolar. Crianças correndo e gritando, mães trocando figurinhas, falando sobre como os seus filhos estão lindos, inteligentes, fofos, espertos e tudo aquilo que cada uma acha que o seu filho é muito mais que todos os outros filhos do mundo.
E ele continuava lá. O Coração Gigante. Passeando no meio do caos, sereno e tranquilo, como quem quer dizer: -Gente, eu tô aqui ó! Eu sou o amor, e vocês só estão aqui hoje por minha causa!


A diretora da escola é aquela que, coitada, tenta colocar ordem no caos. Às vezes consegue, às vezes não, faz parte. Um doce de pessoa que fica lá, igualzinho ao coração: Uma serenidade no meio do caos.


É uma delícia observar estes momentos.


As mães, bem arrumadas, perfumadas, maquiadas, orgulhosas. As crianças eufóricas, tentam mostrar para as mães que são mesmo únicas dentre todas as crianças do mundo. E por isso fazem mais algazarra que de costume, falam e gritam mais que de costume, se mostram mais que de costume. E a gente ama! E fotografa! E admira! E se orgulha!


E ele continuava lá, o Coração Gigante. E eu não conseguia tirar os olhos dele. E parar de pensar na idéia que, por mais brega que possa parecer, acertou em cheio no que queria representar: Um amor gigante. O maior de todos. O que, me desculpem os outros amores, é a mais linda forma de amar que existe.

Um comentário:

Adriana a Faladeira disse...

Adorei o coração! Achei genial a idéia de representar o dia das mães com o símbolo do amor. Já pensou se colocam lá no meio uma mulher fantasiada de mãe recém saída da maternidade, descabelada, inchada e com aquele olhar perdido? Ia assustar as crianças! hehehe brincadeirinha. Amei o post.

 
Web Statistics