segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Se a Psicóloga tá surtada...

Imagina eu!



Uma notícia que vinha prendendo muito a minha atenção desde o último domingo era o desaparecimento de uma psicóloga aqui no Rio. Estava pensando muito nisso e acho que tamanho interesse tem dois motivos: Primeiro porque o desaparecimento havia se dado em um lugar muito familiar pra mim, o bairro do Jardim Botânico onde eu trabalhei por 4 anos, segundo porque desaparecimentos me dão um nó na garganta.

Posso estar exagerando pela falta da experiência, mas eu sinto que um ente querido desaparecer deva ser pior que receber a notícia da sua morte. Você não saber se uma pessoa querida está sendo torturada, maltratada, violentada, a falta de paradeiro, de informações, é a pior angústia que alguém pode sentir. Principalmente casos como o da Priscila Belfort a irmã do Lutador, ou da engenheira Patrícia, jovens, bonitas, bem nascidas e bem criadas, em que investigação nenhuma se conclui, corpo nenhum é encontrado. E esses são apenas dois casos que tiveram destaque na mídia aqui do Rio, muitos outros casos estão aí, à espera de solução, e sequer veem a público. É inimaginável a dor de uma mãe que vai até o quarto de seu filho e vê a cama vazia sem saber o que aconteceu, como e porque desapareceu. Pior, sem saber onde e como está naquele momento.

Eu estava angustiada, com o desaparecimento da psicóloga, a mãe dizendo que só sabia rezar e chorar que é o que ela, já uma senhora de certa idade, podia fazer.

Mais eis que na tarde de hoje encontraram a pobre moça, na garagem do próprio prédio, encolhida no porta malas de um carro. Visivelmente desequilibrada e debilitada.

A primeira conclusão da delegada é a de que ela, em um momento de surto, se escondera propositadamente, quem sabe até em diversos locais do próprio prédio. Gente, uma psicóloga! Que trata da saude mental das pessoas! É no mínimo estranho.

Mas enfim, eu senti uma felicidade tão grande por saber que aquela mãe vai poder abraçar a sua filha novamente, cobrí-la se estiver frio, dar-lhe um beijo de boa noite, que me escorreram lágrimas pelo rosto.

Pensando no mínimo que eu posso fazer, vou tentar colocar o banner da Fia com retratos de crianças desaparecidas aqui no blog, e você caro amigo blogueiro, se puder fazer o mesmo pode estar ajudando a acalmar um coração aflito, em algum canto desse Brasilzão.

Update:

Não achei o banner no site da Fia, que é onde teria atualizado.

Mandei um e-mail solicitando-o, se me mandarem vocês copiam daqui!


5 comentários:

Glória P. disse...

Oi, Lu! Bonita atitude! Tomara que a Fia te mande o banner; vou copiar também. Beijos e um feliz 2011!

Eurico Rocco disse...

Gostei da atitude mas fiquei pensando

O que sera que fez, alguém teoricamente preparado, surtar ?

Medo...

Tem sorteio no meu blog

Participe !

http://delitosperdidos.blogspot.com/

Ruiva disse...

Lu, anote para futuras consultas: TODO psicólogo é maluco. Falo com conhecimento de causa.
rsrsrs

Beijos, amor

Luciana disse...

Pó deixar,copio sim!
Deve ser horrível!
Beijo linda,do coração de ouro!!!!!!!!

Cristal - a louca. disse...

Minina que coisa!!!!

De repente bateu uam saudade da minha mãe, desaparecimento deve ser horrível mesmo, nem gosto de pensar. Que bom que a mamita dela poderá abraçar a filha.....


Amiga, me disseram uma vez que sal grosso leva dinheiro embora, será?


Beijundas e brigadis pela dica.

 
Web Statistics