terça-feira, 29 de maio de 2012

Precisamos falar sobre a Xuxa.

     Dia desses a Xuxa deu uma entrevista ao Fantástico falando sobre abusos sofridos na infância. Acho que todo mundo que não passou férias em Marte ficou sabendo. Muitos riram, outros desmentiram, caçoaram, desconfiaram. De uma história total e completamente possível de ter acontecido com ela e com mais de bilhão de crianças mundo afora no mesmo segundo. 
     Muitos disseram que não acreditaram por ela  já ter dito uma vez que via duendes. E daí? Tem gente que diz que vê santos chorarem, que vê discos voadores (eu mesma já vi, e quem caçoar de mim vou pegar na saída.), que vê fantasmas, que vê deputado trabalhando segunda-feira no Congresso.
     O fato é que ela decidiu enfrentar um trauma extremamente doloroso e por tabela precisou enfrentar a desconfiança nacional. Muitas vezes a criança não conta o abuso por medo de não acreditarem nela, mas para a Xuxa tanto fez contar antes ou agora, não acreditaram do mesmo jeito.
     Muita gente enumerou uma infinidade de poréns para decidir se iria acreditar ou não em uma mulher adulta, independente, que estava alí sabe lá Deus como tentando superar uma violência. Ao ouvir um relato daqueles eu só consigo me consternar e me entristecer, não me resta espaço na mente para nada além disso.
     Ando esses dias com um nó na garganta. Milhares de depoimentos, muitas vezes anônimos, em sites e blogs que trataram do caso pipocam com histórias igualmente semelhantes e pavorosas, pessoas tentando fazer como a Xuxa, só que sem aparecer no Fantástico.
     Tenho sobrinhas de sete e oito anos que precisam ficar com com pessoas que cuidem delas enquanto a minha irmã trabalha. Tenho uma filha de três anos e meio que preciso deixar de  oito e meia da manhã às seis e meia da noite em uma creche pra que eu consiga trabalhar. Neste momento a única coisa que eu gostaria de fazer é colocá-las em uma redoma segura e intransponível até que passem por esse momento tão frágil e inseguro quanto é a infância.

4 comentários:

Mariana disse...

Só temos que ter fé de que há um Deus que tudo vê e é poderoso o suficiente para olhar por nossos filhos. Só assim consigo dormir tranquila!

Bjs,
Mariana

Anônimo disse...

Oi Luciana, concordo com você de que a XUXA está tentando superar uma violência. Eu não assisti a entrevista, mas como não estava em Marte também fiquei sabendo. Compartilho das suas preocupações sobre a necessidade de proteger as crianças – meninas e meninos. Faço este destaque porque é comum esconderem o abuso vivenciado por meninos, o que não é incomum. Quando o abuso é sofrido por meninas, as famílias as culpam ou manda para longe. Falei família e nesse ponto minha preocupação recebe um agravante em relação ao que você expôs: eu acredito que a maior parte da violência sexual vivenciada pelas crianças acontece dentro das casas e não, em sua maioria, nas escolas e creches. Justamente por isso, muitas vezes as estatísticas não conseguem capturar os números. Os casos são vistos pelas famílias como casos privados, particulares. Além disso, o violentador, geralmente, ocupa posição importante dentro da família – padrasto, pai, tio, irmão, pastor..... Eu não sou admiradora da XUXA, mas penso que a declaração feita por ela poderá ajudar muitas famílias a revelarem e elaborarem as vivências familiares dolorosas. Sobretudo, espero que ajude as famílias a protegerem suas crianças.

Páginas Da Minha Vida disse...

Menina, falei sobre isso hoje lá no blogger.

É por essas e outras razões que penso umas mil vezes se um dia quero ser mãe.Porque esses monstros estão em todos os lugares : escola, casa de amigos, igreja...

o negócio é conversar com as crianças.Explicar direitinho e dizer para eles não sentirem medo de contar para os pais o que se passou.

mas mesmo assim, continua complicado.Entendo sua aflição.

bjs

Jorge de Freitas disse...

Oi maravailha, tudo bem?
Eu compartilho de sua posição em relação ao que ocorreu com a Xuxa e fico solidário com ela. Porém, penso que ela foi infeliz na forma que expôs o fato. Sabe-se que a audiência do fantástio não é mais nenhum show da vida. Sabe-se também, que Xuxa é audiência para qualquer emissora até em aparelho desligado. Desconheço as cláusulas de seu Contrato mas, acredito que a Xuxa atendeu a algum tipo de exigência da produção da Globo, cujo contrato impedia que mesma recusasse.
Sensacionalismo ou não, foi um ato de coragem pelo que ela representa no imaginário popular de baixinhos e outros nem tão baixinhos assim.
Te deixo um monte de beijos e outro monte pra Xuxa, que por sinal, eu adoro (podem caçoar também mas, me agurdem!) rsrsr. Até breve!

 
Web Statistics